Canelado lidera crescimento da embalagem com impressão digital

A impressão digital de embalagens é um mercado de 13,2 mil milhões de USD e deverá aumentar até 23,2 mil milhões de USD até 2022, segundo a mais recente pesquisa da Smithers Pire, The Future of Digital Print for Packaging to 2022.
A procura de impressão por jato de tinta e eletrofotografia deverá registar um aumento anual de 11,2% em valor durante o período entre 2017 e 2022, e um um crescimento de 15,4% em volume (equivalente em folhas A4), de 163 mil milhões em 2017 para 334 mil milhões de folhas A4 em 2022. Esta previsão reflete a chegada dos equipamentos de grande tiragem.
A introdução da impressão digital não é uniforme. O setor das etiquetas foi pioneiro e atingiu a maturidade em algumas regiões. A expansão futura será consequentemente mais intensa nos formatos de embalagem onde esse tipo de impressão tem ainda uma presença diminuta, incluindo o cartão canelado, o cartão compacto e as embalagens flexíveis.
Em 2017, o setor do cartão canelado já evidencia um interesse real pelos sistemas de jato de tinta de papel e de pós-impressão, para proporcionar novas funções e eficiências de fábrica. A implementação é liderada por algumas das maiores empresas do setor e por algumas empresas independentes mais ágeis, o que conduzirá à introdução de equipamentos capazes de maiores volumes de produção e com preço mais acessível.
Para mais informação sobre este relatório, contactar Julie Bostock.

Crescimento no mercado global das etiquetas

The Future of Labels and Release Liners to 2021O mercado global das etiquetas deverá crescer 5,4% ao ano entre 2016 e 2021, até atingir o valor de 44,8 mil milhões de USD, prevê a Smithers Pira.
No relatório "The Future of Labels and Release Liners to 2021", a análise da Smithers Pira indica que o crescimento do mercado das etiquetas é induzido pelas mudanças económicas, sociais, demográficas e de estilo de vida, pela focagem dos detentores de marcas na redução na origem e na embalagem sustentável, pela procura de embalagens mais práticas pelos consumidores e pela influência crescente das cadeias retalhistas. O mercado é ainda influenciado pelo baixo custo da mudança de etiquetas e pela necessidade contínua de códigos de barras e outras aplicações de embalagem secundária que respondam às exigências de segurança alimentar e farmacêutica.
Os mercados de bebidas dominam o consumo de etiquetas; as bebidas alcoólicas são o maior segmento, com 27,5% do consumo global estimado para 2016. As atividades de turismo e hospitalidade nas grandes cidades suportam o crescimento do consumo de bebidas alcoólicas. A cultura ocidental influencia os consumidores jovens das economias emergentes. A estes fatores acresce o aumento do rendimento disponível e da classe média na região asiática.

"A previsão de crescimento do mercado das etiquetas é influenciada negativamente pela expectativa de crescimento económico moderado durante o período abrangido pela previsão" – indica Dan Rogers, responsável de publicações da Smithers Pira. "As economias emergentes e em desenvolvimento oferecem as melhores oportunidades para o crescimento do mercado das etiquetas".

A tendência crescente para a sustentabilidade da embalagem e da etiquetagem implica o aumento da preferência por sistemas de etiquetagem sem liners e esta ausência de material de suporte é associada a uma maior rapidez nas mudanças de material e de bobina. A tecnologia linerless também proporciona alta qualidade de impressão a cores, assim como a impressão no verso das etiquetas, para fins de informação ou promocionais. As etiquetas sem liners reduz resíduos e custos na produção das etiquetas.

Para mais informação sobre este relatório, clicar AQUI ou enviar um email para Julie Bostock.

Filmes barreira vs alumínio

imageOs filmes barreira transparentes estão a substituir materiais tradicionais como a folha de alumínio em várias aplicações, devido à preferência dos consumidores por embalagens transparentes, à facilidade de processamento e ao uso de detectores de metais nos fornos micro-ondas. De acordo com o relatório The Future of Transparent Barrier Films versus Barrier Foil to 2021, recentemente publicado pela Smithers Pira, a procura global de filmes barreira transparentes deverá crescer a uma média anual de 3,9% até atingir 1,9 milhões de toneladas em 2021. O consumo aparente de embalagens com folha de alumínio deverá crescer a uma média anual de 2,5% até atingir cerca de 3 milhões de toneladas em 2021.

LEIA O RESTO DO ARTIGO

PET embalagem 19,9 Mt em 2014

O mercado global do PET para embalagem deverá atingir 16 milhões de toneladas o valor de 48,1 mil milhões de dólares em 2014, prevê a Smithers Pira num relatório recente. A procura deverá crescer 4,6% ao ano nos próximos 5 anos, e atingir 19,9 milhões de toneladas e  60 mil milhões de dólares em 2019.
Em 2013, o mercado global do PET atingiu 15,4 milhões de toneladas. A produção de garrafas é o principal segmento deste mercado, com cerca de 80%, em que predominam o sector das águas (5,45 Mt, com um crescimento de 7,3%) e o sector dos refrigerantes (5,17 Mt, com um crescimento de 1,8%.), A embalagem não alimentar atingiu um consumo de 804,3 mil toneladas (mais 4,4% comparativamente a 2012) e as embalagens termoformadas atingiram 1,04 Mt (mais 4,75). A região Ásia-Pacífico tornou-se a principal consumidor de PET.

Mercado mundial da embalagem vale 797 mil milhões de euros

As vendas de embalagens a nível mundial foram estimadas em 797 mil milhões de USD em 2013 pela Smithers Pira (Reino Unido), que prevê um crescimento médio anual de 4% até 2018. As estimativas e previsões estão no relatório "The Future of Global Packaging to 2018", recentemente posto à venda.

Distribuição (em %) do valor de vendas de embalagens (2012)
pelos vários continentes

Ásia                                            36%image
Europa                                       28%
América do Norte                   23%
América Central e Latina        5%
Médio Oriente                            3%
Australásia                                 2%
África                                           2%

Fonte: Smithers Pira

LEIA MAIS