Canelado lidera crescimento da embalagem com impressão digital

A impressão digital de embalagens é um mercado de 13,2 mil milhões de USD e deverá aumentar até 23,2 mil milhões de USD até 2022, segundo a mais recente pesquisa da Smithers Pire, The Future of Digital Print for Packaging to 2022.
A procura de impressão por jato de tinta e eletrofotografia deverá registar um aumento anual de 11,2% em valor durante o período entre 2017 e 2022, e um um crescimento de 15,4% em volume (equivalente em folhas A4), de 163 mil milhões em 2017 para 334 mil milhões de folhas A4 em 2022. Esta previsão reflete a chegada dos equipamentos de grande tiragem.
A introdução da impressão digital não é uniforme. O setor das etiquetas foi pioneiro e atingiu a maturidade em algumas regiões. A expansão futura será consequentemente mais intensa nos formatos de embalagem onde esse tipo de impressão tem ainda uma presença diminuta, incluindo o cartão canelado, o cartão compacto e as embalagens flexíveis.
Em 2017, o setor do cartão canelado já evidencia um interesse real pelos sistemas de jato de tinta de papel e de pós-impressão, para proporcionar novas funções e eficiências de fábrica. A implementação é liderada por algumas das maiores empresas do setor e por algumas empresas independentes mais ágeis, o que conduzirá à introdução de equipamentos capazes de maiores volumes de produção e com preço mais acessível.
Para mais informação sobre este relatório, contactar Julie Bostock.

Anúncios

Crescimento no mercado global das etiquetas

The Future of Labels and Release Liners to 2021O mercado global das etiquetas deverá crescer 5,4% ao ano entre 2016 e 2021, até atingir o valor de 44,8 mil milhões de USD, prevê a Smithers Pira.
No relatório "The Future of Labels and Release Liners to 2021", a análise da Smithers Pira indica que o crescimento do mercado das etiquetas é induzido pelas mudanças económicas, sociais, demográficas e de estilo de vida, pela focagem dos detentores de marcas na redução na origem e na embalagem sustentável, pela procura de embalagens mais práticas pelos consumidores e pela influência crescente das cadeias retalhistas. O mercado é ainda influenciado pelo baixo custo da mudança de etiquetas e pela necessidade contínua de códigos de barras e outras aplicações de embalagem secundária que respondam às exigências de segurança alimentar e farmacêutica.
Os mercados de bebidas dominam o consumo de etiquetas; as bebidas alcoólicas são o maior segmento, com 27,5% do consumo global estimado para 2016. As atividades de turismo e hospitalidade nas grandes cidades suportam o crescimento do consumo de bebidas alcoólicas. A cultura ocidental influencia os consumidores jovens das economias emergentes. A estes fatores acresce o aumento do rendimento disponível e da classe média na região asiática.

"A previsão de crescimento do mercado das etiquetas é influenciada negativamente pela expectativa de crescimento económico moderado durante o período abrangido pela previsão" – indica Dan Rogers, responsável de publicações da Smithers Pira. "As economias emergentes e em desenvolvimento oferecem as melhores oportunidades para o crescimento do mercado das etiquetas".

A tendência crescente para a sustentabilidade da embalagem e da etiquetagem implica o aumento da preferência por sistemas de etiquetagem sem liners e esta ausência de material de suporte é associada a uma maior rapidez nas mudanças de material e de bobina. A tecnologia linerless também proporciona alta qualidade de impressão a cores, assim como a impressão no verso das etiquetas, para fins de informação ou promocionais. As etiquetas sem liners reduz resíduos e custos na produção das etiquetas.

Para mais informação sobre este relatório, clicar AQUI ou enviar um email para Julie Bostock.

Embalagem metálica pede chegar aos 132 mil milhões de USD até 2021

Depois de uma desaceleração significativa, o mercado global da embalagem metálica recuperou o crescimento, com maiores taxas na Ásia, na Europa Leste, no Médio Oriente e em África.
No seu recente relatório ‘The Future of Metal Packaging and Coatings to 2021‘, a Smithers Pira estima que o mercado vai crescer 3% em 2016 e atingir 106 mil milhões de USD, induzido sobretudo pelo aumento da procura nas economias emergentes e de transição, ao mesmo tempo que os mercados maduros permanecem estagnados. Nos anos que se seguem, o mercado global da embalagem metálica deverá crescer 4% em média anual até atingir os 132,1 mil milhões de USD em 2021.

Em termos de comércio global, países em desenvolvimento como a China, a Índia e o Brasil foram durante muito tempo considerados como produtores e exportadores significativos, fornecendo produtos para o mundo, mas, ao mesmo tempo, como fracos consumidores internos. Isso já não sucede.

LEIA O RESTO DO ARTIGO

Filmes barreira vs alumínio

imageOs filmes barreira transparentes estão a substituir materiais tradicionais como a folha de alumínio em várias aplicações, devido à preferência dos consumidores por embalagens transparentes, à facilidade de processamento e ao uso de detectores de metais nos fornos micro-ondas. De acordo com o relatório The Future of Transparent Barrier Films versus Barrier Foil to 2021, recentemente publicado pela Smithers Pira, a procura global de filmes barreira transparentes deverá crescer a uma média anual de 3,9% até atingir 1,9 milhões de toneladas em 2021. O consumo aparente de embalagens com folha de alumínio deverá crescer a uma média anual de 2,5% até atingir cerca de 3 milhões de toneladas em 2021.

LEIA O RESTO DO ARTIGO

Logística e Intralogística em Destaque

imageA nova unidade de engarrafamento da UNICER e o novo armazém automático são tema da reportagem publicada na edição n.º 230 da revista REVIPACK. Neste grande investimento, destaca-se a estratégia da UNICER e fornecedores como a KHS (linhas de engarrafamento), a EFACEC (armazém automático) e a SEW-EURODRIVE (accionamentos).
Nesta edição, a logística e a intralogística são temas em destaque. Porque razão as paletes de madeira continuam a ser preferidas? Para Paulo Verdasca, administrador da Madeca, a resposta está na combinação de qualidade, preço e sustentabilidade. A CHEP destaca as vantagens económicas e ambientais do transporte colaborativo.
No entanto, também há mercado para as paletes de plástico, com soluções específicas como as desenvolvidas pela NORTPALET e a Cabka-IPS.
Paletizar não é apenas colocar sobre uma palete. Por isso, esta edição da REVIPACK destaca também sistemas de cintagem e o envolvimento estirável. A REMBALCOM desenvolveu um novo filme estirável com capacidade de estiragem de 400%.
Na área da intralogística, esta edição destaca várias soluções de transportadores. A ANTÍPODA, por exemplo, está a somar êxitos no mercado europeu com soluções modulares projectadas à medida dos clientes.
Nesta edição, a REVIPACK apresenta ainda várias novidades e tendências em matéria de embalagem alimentar, máquinas de embalagem e sistemas de etiquetagem e codificação.
A edição REVIPACK digital (em ficheiro pdf) já foi enviada para os Assinantes. Também pode ser lida on line, clicando na imagem da capa.

Tendências e requisitos da embalagem de bebidas

image

A indústria de embalagens para bebidas da América do Norte deverá atingir o valor de negócios de 26,3 mil milhões de USD, com as garrafas de plástico na primeira posição, segundo o relatório "Beverage Packaging — An Industry Assessment", a publicar pela do PMMI, que reúne os construtores de máquinas de embalagem e de processamento.
O estudo assinala que o plástico continua a ser a principal embalagem para bebidas, com cerca de 40% do mercado, e que a garrafa continua a ser o formato preferido, com cerca de 55% do mercado. Embora tenham sofrido uma descida nas vendas de refrigerantes, as latas de alumínio estão a ganhar popularidade noutro tipo de bebidas, como é o caso das bebidas energéticas e das cervejas locais, com volumes que mais do que compensam a referida descida. As bolsas flexíveis registaram um crescimento lento, mas muitos dos responsáveis da indústria de bebidas norte-americana antecipam uma utilização crescente deste tipo de embalagem, sobretudo em segmentos em que os consumidores já estão habituados a esse formato, como é o caso dos sumos. Independentemente do formato, a embalagem continua a ser um meio de primeira ordem para comunicar os valores das marcas aos consumidores.
O estudo também analisa as tendências-chave, tais como os tamanhos e dimensões das embalagens, os tipos de abertura e a experiência que proporcional, a re-selabilidade para controlo da dosagem, o dimensionamento das embalagens para mercados específicos, e a influência das cores e dos grafismos para ganhar posição nos pontos de venda. São também analisadas as tendências relativas a cadeias de fornecimento, regulamentação, preocupações e necessidades da indústria. O estudo é disponibilizado gratuitamente para os associados do PMMI, e vendido por 3500 USD para não membros. Para obter o sumário executivo, clicar AQUI.
Os produtores de bebidas que procurem observar estas tendências ao vivo no mercado norte-americano, terão uma oportunidade especial visitando a feira PACK EXPO International, que terá lugar em simultâneo com a Pharma EXPO nos dias 2 a 5 de Novembro no McCormick Place de Chicago.

As quotas de mercado das garrafas de plástico

O mercado europeu das garrafas de plástico está estimado em cerca de 4,5 milhões de toneladas. As bebidas representam dois terços da procura de garrafas de plástico (em unidades). As tendências de crescimento diferem em função da categoriaimage de bebidas e da região, mas é nítida a tendência global do mercado das bebidas para as chamadas "opções saudáveis". A procura de garrafas de plástico produzidas por extrusão-sopro na Europa é impulsionada pela substituição das garrafas de vidro, das embalagens de cartão e das latas. Os consumidores tendem a fazer mais compras por impulso quando estão em movimento, daí resultando um procura adicional. Estas são as principais constatações num relatório publicado em Abril pela AMI Consulting (Bristol, Reino Unido).

LEER O RESTO DA NOTÍCIA