Tecnologia de triagem de plásticos baseada em marcadores químicos

Convidados pela Petcore Europe e da Federação Europeia dos Engarrafadores de Águas (EFBW) para um Workshop realizado em Bruxelas no dia 15 de março, mais de 80 especialistas da cadeia de valor do PET, detentores de marcas e investigadores tiveram a oportunidade de conhecer o Polymark, um projeto europeu que desenvolveu uma nova tecnologia que permite a identificação e triagem de polímeros, designadamente o PET numa primeira fase, a partir dos fluxos de resíduos plásticos de maior valor.

Acreditamos que as tecnologias de triagem baseadas em sensores têm um papel chave na viabilização da economia circular para os plásticos, proporcionando triagem eficiente e melhorando a qualidade e o rendimento da reciclagem. Para além do progresso técnico obtido durante o projeto Polymark, observámos como toda a cadeia de valor assumiu a triagem baseada em marcadores como próximo passo crucial para melhorar a reciclagem de plásticos” – diz An Vossen, da EPRO, um dos parceiros do projeto Polymark, no vídeo de apresentação do projecto

Peter Reinig, líder do grupo de Photonic Sensig do instituto Fraunhofer IPMS, apresentou o trabalho levado a cabo pela HERI no desenvolvimento do marcador químico. No projeto Polymark, foi identificado um marcador químico aprovado para contacto alimentar que é utilizado para revestir as garrafas ou nos rótulos. Depois da identificação e triagem, este marcador pode ser removido pelas linhas de lavagem existentes nas fábricas de reciclagem.

O foco da segunda apresentação, também a cargo de Reinig, foi o desenvolvimento da tecnologia de identificação espectral que deteta o marcador e descodifica a informação de forma a separar as embalagens plásticas pós-consumo. O princípio de deteção Polymark para a triagem baseia-se na excitação UV e na fluorescência VIS. É capaz de separar garrafas PET food grade num transportador à velocidade de 3 m/s, com resolução espacial de 10 mm.

image
Finalmente, Hans Eder, diretor de I&D da Sesotec, explicou o desenvolvimento e o funcionamento do equipamento de triagem Polimark construído à escala industrial. O sistema de deteção do marcador consiste em duas unidades básicas: uma fonte de luz UV de alta energia para excitar o marcador e uma câmara de alta sensibilidade para detetar os sinais de fraca fluorescência emitidos pelo marcador. A máquina de triar Polymark é capaz de assegurar um grau de pureza de 98% a partir da fração primária.

Depois das apresentações, os participantes fisicamente presentes no Workshop ou via webinar, colocaram várias questões e produziram vários comentários. Sobre a questão do desenvolvimento comercial do projeto e da sua influência na política da UE, Casper van den Dungen, Vice-Presidente da Plastics Recyclers Europe (PRE), disse que o projeto Polymark fornece uma primeira plataforma para que a indústria comunique em matéria de tecnologia de marcadores. Os recicladores estão a encorajar a Europa a harmonizar e normalizar o uso destas tecnologias inovadoras de triagem. É importante notar que ainda existem barreiras e ainda são necessárias discussões entre os vários stakeholders. “No entanto, o Polymark estabelece um ponto de partida e a certeza da possibilidade desta inovação”, concluiu van Dungen.

As apresentações, bem com como mais informação sobre o projeto Polymark, estão disponíveis no website do projeto www.polimark.org.

Anúncios

MEETINGPACK 2017 em Valência

imageO encontro internacional MeetingPack 2017 terá lugar nos dias 30 e 31 de maio, em Valência (Espanha). É organizado pelo Centro Tecnológico AINIA e pelo AIMPLAS e deverá reunir mais de 300 peritos em embalagem de plástico para alimentos, de diferentes países.

O encontro reúne toda a cadeia de valor da embalagem alimentar. Multinacionais do setor alimentar, fabricantes de embalagens, materiais de embalagem e máquinas de embalagem, bem como representantes do setor distribuição e outros agentes, tais como responsáveis pelas políticas públicas da Europa, peritos em legislação alimentar e em ecologia, irão participar no evento. Entre as empresas que já confirmaram a sua presença estão a UBE, a Dow Chemical, a Repsol, a M&D e a Danone.

imageA edição 2017 do MeetingPack foca o tópico "Conveniência: Guiando a Inovação em Embalagem Barreira", que se traduzirá na análise dos grandes desafios tecnológicos globais neste âmbito, tais como materiais barreira, novos sistemas de produção e embalagem, materiais refecháveis e reseláveis, fabricação aditiva, indústria 4.0, embalagens sustentáveis e reciclagem, embalagem ativas e desenvolvimentos na área dos ensaios e controlo da qualidade. Para ver o programa, clicar AQUI.

As embalagens, em particular com materiais barreira, têm um papel chave, atual e futuro, na satisfação dos requisitos de conveniência colocados pelos consumidores europeus e na forma como é enfrentado o desafio das perdas e desperdícios de alimentos, bem como na necessidade de assegurar e prolongar o tempo de vida útil dos produtos e a segurança alimentar.
O MeetingPack decorre nas mesmas datas da exposição Made From Plastic 2017, a qual registou mais de 3500 visitantes nas edições anteriores.

Indústria do vidro reduz emissões e aumenta reciclagem

A Federação Europeia do Vidro de Embalagem (FEVE) levou a cabo um novo estudo de análise de ciclo de vida (LCA) para avaliar o desempenho do sector comparativamente aos dados publicados em 2009.
A comparação entre os dois estudos LCA evidencia progressos relevantes da indústria do vidro de embalagem em termos de teor de reciclado, economia de matérias-primas virgens, consumo de energia e redução de emissões.
O estudo fornece dados detalhados e representativos do desempenho médio da indústria europeia. Não se baseia em casos escolhidos pela sua boa performance. Abrange 84% (17,5 milhões de toneladas) das vendas de embalagens de vidro de 2012 (contra 72% das vendas de vidro de 2007) e 219 fornos de fusão de vidro (205 em 2007). Foram consideradas todas as tecnologias de produção e todas as cores de vidro. O estudo foi também revisto por um painel de especialistas em LCA, incluindo o presidente do comité ISO TC207/SC5 Life Cycle Assessment. Toldos os inputs e outputs da produção de uma garrafa de vidro estão agora disponíveis.
A metodologia LCA ajuda a medir alguns dos principais indicadores ambientais. O estudo LCA da FEVE para embalagens de vidro (garrafas e frascos) analisa cada etapa, desde a extração de matérias-primas até ao fabrico, transporte e destino final das embalagens de vidro após uso. O estudo mostra como a reciclagem em circuito fechado tem um impacto positivo elevado na sustentabilidade da embalagem de vidro. Com este estudo, a indústria conhece melhor a sua pegada ecológica e poderá continuar a avaliar a evolução dos seus indicadores ambientais.

image

O relatório metodológico e o inventário de ciclo de vida estão disponíveis para download no website da FEVE. Para efetuar o registo para download, clicar AQUI.

Reciclagem de plásticos aumenta na Europa

A reciclagem de embalagens de plástico na Europa (28+2) atingiu  6,3 milhões de toneladas em 2014, que correspondem a 39,5% do total de resíduos de embalagens gerados nesse ano. A taxa de reciclagem ficou assim bem acima da meta de 22,5% estabelecida na diretiva embalagens.
Segundo as estatísticas elaboradas pela EPRO – a Associação Europeia de Organizações de Reciclagem e Valorização de Plásticos, os destinos finais da embalagens de plásticos repartiram-se da seguinte forma:

Reciclagem:                        39,5%
Valorização Energética:    38,5%
Aterro:                                   22,0%

A taxa de reciclagem aumentou de 34,7% em 2012 para 39,5% em 2014. À exceção de Malta, todos os países da Europa ficaram acima da meta de 22,5% e 24 países (incluindo Portugal) ficaram acima de 30%. As maiores taxas de reciclagem foram registadas na República Checa (52,1%), Alemanha, Eslovénia, Suécia e Irlanda.

Cerca de 64% dos resíduos pós-consumo de embalagens de plástico são gerados nas residências e os restantes 36% são gerados no comércio e indústria. A taxa de reciclagem no fluxo comércio/indústria foi em 2015 de 42,8% (37,6% em 2012), enquanto no setor doméstico passou de 33% (2012) para 37,7%.

image

 

Alguns países recolhem todos os tipos de embalagens de plástico numa fração separada ou conjuntamente com outras embalagens leves: Alemanha, Finlândia, Islândia, Itália, Noruega, Portugal, Espanha e Suécia. Noutros países, como a Áustria e o Reino Unido, parte das regiões recolhe todos os plásticos, quanto outras regiões recolhem apenas as embalagens rígidas. A Alemanha, a Finlândia, a Islândia, a Noruega e a Suécia têm sistemas de depósito para a maior parte das garrafas de plástico. A Bélgica, a França e a Suíça apenas recolhem embalagens rígidas mas a França já iniciou a recolha de embalagens flexíveis.

Os países com mais elevadas taxas de valorização energética apresentam taxas de deposição em aterro inferiores a 10%. Na situação oposta estão países que não têm conversão de resíduos plásticos em energia elétrica. De países ainda depositam em aterro mais de 40% dos resíduos de embalagens plásticas. É o caso da Espanha, com 41% em 2014.

A taxa de reciclagem de resíduos de embalagens (39,5%) ficou acima da taxa de reciclagem apurada para todos os plásticos – 29,7% em 2014.
As aplicações de embalagem representam 40% dos plásticos colocados no mercado, 62% dos resíduos plásticos gerados e 81% dos resíduos plásticos reciclados (6,3 de 7,7 milhões de toneladas).

O setor agrícola gerou em 2014 1,4 toneladas de resíduos plásticos pós-consumo, designadamente filmes e outros plásticos não embalagem.  O destino final dos plásticos agrícolas foi: 28% para reciclagem, 31,1 para valorização energética e 40,9% para aterro

Filme de rotulagem mais amigo da reciclagem

imageO filme retráctil Pentalabel® ClearFloat™, apresentado pela Klöckner na International Sleeve Label Conference (3 e 4 de Março, Denver, Colorado, EUA) combina propriedades de processamento com a facilidade de separação nos processos de reciclagem das embalagens. No que respeita ao processamento, o novo filme tem elevada percentagem de retracção (compatível com geometrias de embalagem mais arrojadas), elevada transparência e suporta processamento a alta velocidade e impressão flexográfica, rotográfica, offser rotativa e digital. É indicado para a rotulagem de embalagens PET para bebidas, produtos alimentares, medicamentos, cosméticos, de cuidado pessoal, de cuidado doméstico ou jardinagem.

image
Do ponto de vista da reciclagem, este filme obedece às Recycling Guidelines da Association of Postconsumer Plastics Recyclers (EUA). Nos processos de reciclagem, os filmes ClearFloat™ são fáceis de separar do corpo da embalagem. Com densidade inferior a 0,95 (que pode aumentar com a impressão), o filmeimage tende a flutuar, separando-se do PET, cuja densidade está normalmente acima de 1,35.

Para obter a ficha de produto, clicar AQUI.

Para obter uma síntese das Recycling Guidelines da APR, clicar AQUI.
Para obter o guia completo, clicar AQUI.

Reciclagem do aço atingiu 75%

A reciclagem de aço atingiu uma taxa de reciclagem média europeia de 75% em 2013, um ponto percentual acima da taxa média doano anterior, reporta a APEAL, com base em fontes de informação e numa metodologia revista pela Eunomia.

Uma tonelada de aço reciclado equivale a evitar mais de uma vez e meia o seu peso em emissões de CO2, mais do dobro do seu peso em matérias-primas e uma redução de 70% do consumo de energia necessária para produzir aço a partir de matérias-primas virgens.

“O abandono do Pacote da Economia Circular no início deste ano pela Comissão Europeia foi um claro desapontamento, mas há sinais prometedores de que será anunciada em breve uma alternativa que estabelecerá metas de reciclagem ambiciosas necessárias para conduzir a Europa para uma economia circular. A APEAL está confiante que este é o caminho a seguir e vamos continuar a concentrar os nossos esforços nos países onde ainda existe potencial para aumentar a reciclagem do aço” – declarou Alexander Mohr, secretário geral da APEAL.

O dilema ambiental dos tabuleiros de PET

A composição actual da maior parte dos tabuleiros de PET dificulta a sua reciclagem. No futuro, esta situação poderá alterar-se através de mudanças no design destinadas a facilitar a reciclagem. A PRE (Plastics Recyclers Europe, a associação europeia de recicladores) anunciou que vai desenvolver orientações de reciclagem específicas para os tabuleiros de PET.
Nos anos mais recentes, verificou-se um aumento significativo do uso de tabuleiros de PET pelas indústrias embaladoras. Este aumento não obedeceu a regras e soluções orientadas para o fim de ciclo de vida dos tabuleiros. Em resultado, a maior parte destes tabuleiros não é fácil de reciclar. Os fluxos e sistemas de recolha e reciclagem actuais não incluem, em geral, os tabuleiros de PET. Os recicladores de PET têm dificuldade em lidar com eles devido à diversidade de composição (multi-camadas, combinações com outros materiais, etc.), contrastando com as garrafas PET. Os recicladores de plásticos mistos tendem a rejeitar os tabuleiros de PET por serem incompatíveis com as poliolefinas. Isto cria uma situação negativa para as cerca de 700 mil toneladas de tabuleiros de PET anualmente colocadas no mercado e quie constituem um recurso potencial para a União Europeia. Actualmente, vários sistermas de recolha tentam "empurrar" estes tabuleiros para os fluxos de resíduos destinados aos recicladores de garrafas PET ou de plásticos mistos, de forma a melhortar s taxas de reciclagem. O factor-chave para mudar este estado de coisas consiste em actuar na fase de de design dos tabuleiros. A indústria deve envolver-se no sentido de manter e fazer crescer o mercado dos tabuleiros PET. Se a situação não se alterar, os tabuleiros de PET correm o risco de serem substituídos por soluções mais eficientes. A PRE pretende alterar a situação e assumir a responsabilidade de desenvolver orientações de reciclagem para tabuleiros de PET. As primeiras orientações permitirão às empresas da cadeia de valor da embalagem analisar a reciclabilidade das embalagens colocadas no mercado e mudar para tabuleiros PET mais fáceis de reciclar. Numa segunda etapa, deverá apostar-se na triagem de tabuleiros PET para tornar a reciclagem mais fácil. Como os problemas são similares, a PRE também vai elaborar orientações para tabuleiros de outros materiais.