Gráfica Ideal com certificação ISO 22000

imageA Gráfica Ideal (Águeda), especializada na produção e impressão offset de embalagens em cartolina, papel e microcanelado,  obteve a certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade Alimentar em conformidade com as normas ISO 22000:2005 e PAS 223. É a primeira e (até agora) única empresa nacional do sector a obter esta certificação.
A norma ISO 22000:2005 aplica-se a toda e qualquer organização que actue na cadeia alimentar. A certificação significa que a organização dispõe de um sistema de segurança alimentar e inspira confiança acrescida no produto. A norma combina a base de critérios dos Sistemas de Gestão da Qualidade e integra os princípios HACCP e GMP como pré-requesitos.
A norma PAS 223 foi patrocinada pela “Safe Supply of Affordable Food Everywhere (SSAFE)”, em conjunto com representantes da The Coca-Cola Company, da Foundation for Food Safety Certification (FSSC), de grandes empresas internacionais fabricantes de alimentos e bebidas como Nestlé, Danone, Unilever e Kraft; de imagefornecedores de embalagens como Tetra Pak, Amcor, Alpla, Rexam e Owens-Illinois, e de representantes de associações comerciais de embalagem como o Institute for Packaging Professionals/Food Safety Alliance for Packaging (FSAP).
A aposta na certificação representa para a Gráfica Ideal de Águeda, S.A., um "compromisso para com a Segurança Alimentar e a total transparência de todo o processo produtivo ao longo da cadeia de produção".

Anúncios

Opinião científica suporta uso de rPP para contacto alimentar

A EFSA (Autoridade Europeia de Segurança Alimentar) diz que não existe perigo para a segurança dos consumidores se o processo de reciclagem “PP crates CHEP” ocorrer em circuito fechado e controlado, conforme descrito pela CHEP UK Ltd. A opinião científica da EFSA baseia-se na avaliação de risco requerida pelo Ministro da Saúde, do Bem-Estar e dos Desportos da Holanda e conduzida pelo Painel CEF (painel da EFSA para os materiais destinados a entrar em contacto com alimentos, enzimas, aromatizantes e auxiliares de processamento).
No processo de reciclagem “PP crates CHEP”, as grades de PP (polipropileno) danificadas são limpas e trituradas. Depois de lavado e seco, o triturado é combinado com PP virgem ou usadas a 100% para fabricar grades de rPP (polipropileno reciclado) destinadas a uso e re-uso de frutos, vegetais ou carnes pré-embaladas, à temperatura ambiente ou inferior. O processo de reciclagem deve ser verificado periodicamente, como parte das boas práticas de produção (GMP) e em conformidade com a regulamentação da UE sobre materiais destinados a entrar em contacto com alimentos. As especificações do material utilizado no processo (grades usadas na distribuição de produtos em circuito fechado e controlado), bem como da higienização das grades durante o o seu ciclo de utilização deverão ser mantidas sob controlo para assegurar que o processo se mantém dentro das condições avaliadas.

Boas práticas para contacto alimentar

image A Confederação da Indústria Europeia do Papel (CEPI) publicou um documento de 30 páginas sobre "Boas Práticas de Produção de Papel e Cartão para Contacto Alimentar". O documento contém vários conceitos novos e metodologias cuja utilização pode não  ser familiar a vários utilizadores. Apresentado como "1ª versão", o documento será revisto até ao final de 2011. A CEPI aceita contributos para a melhoria do documento. Está acessível uma cópia (em inglês), na página "DOCUMENTOS".

FDA alarga aprovação do rPET

As embalagens de alimentos e refeições prontas podem ser fabricadas com 100 % de PET reciclado (rPET) produzido em sistemas VACUREMA, mesmo que sejam sujeitas a temperaturas superiores a 120 °C no processo de aquecimento, quer em forno micro-ondas, quer em forno convencional. LEIA MAIS

Sistemas de Gestão de Segurança Alimentar

A ISO (Organização Internacional de Normalização) disponibiliza uma compilação de normas sobre Sistemas de Gestão de Segurança Alimentar. O CD-ROM inclui, em inglês e francês, todas as normas da "família" ISO 22000, designadamente:
ISO 22000: 2005
Food safety management systems — Requirements for any organization in the food chain
image
ISO 22000:2005/Cor 1:2006
Food safety management systems — Requirements for any organization in the food chain
ISO/TS 22003:2007
Food safety management systems — Requirements for bodies providing audit and certification of food safety management systems
ISO/TS 22004: 2005
Food safety management systems — Guidance on the application of ISO 22000:2005
ISO 22005:2007
Traceability in the feed and food chain — General principles and basic requirements for system design and implementation
ISO/IEC 17021:2006
Conformity assessment — Requirements
Para mais informação, CLICAR AQUI.

http://www.iso.org/iso/pressrelease.htm?refid=Ref1095

Peças em plástico detectáveis

image A igus (Colónia, Alemanha) é uma das empresas que apostou nos plásticos para peças mecânicas como casquilhos  rótulas, chumaceiras tirantes, etc.. A principal vantagem é a combinação da resistência mecânica com a ausência de corrosão e manutenção. Mais recentemente, a igus adoptou novas formulações do material plástico igubal, que o torna detectável nos sistemas automáticos de detecção de metais. Esta característica aumenta a segurança na indústria alimentar, dado que, caso uma destas peças seja danificada, as partículas plásticas são detectadas automaticamente, evitando a contaminação dos produtos. LEIA MAIS

Descontaminação por luz pulsada

image Um flash de luz, com pico térmico de 160 °C durante 0,3 milissegundos substitui os processos químicos (peróxido de hidrogénio, ácido peracético) e a irradiação (beta, gamma). O processo já foi testado e validado pelo Instituto Fraunhofer (Alemanha) e está disponível para numerosas aplicações em linhas de embalagem, desde o enchimento de líquidos até à desinfecção de tampas (até 70 mil/h).

A tecnologia de descontaminação por luz pulsada foi descrita na REVIPACK nº 195 (2007), pag 30 e tem vindo a expandir-se para novas aplicações, como é o caso da descontaminação de tampas, embalagens de iogurtes e pré-formas PET (ver REVIPACK Nº 204), bem como para a "pasteurização a frio" de xaropes. O novo sistema tem particular interesse para a indústrias de refrigerantes e permite eliminar esporos resistentes aos tratamentos térmicos convencionais (Alicyclobacillus acido-terrestris). A tecnologia de luz pulsada da Claranor tem sido adoptada para a descontaminação de embalagens de iogurtes, com alternativa à irradiação gamma e aos tratamentos químicos. Os sistemas de luz pulsada não geram efluentes e amortizam em menos de 12 meses. A descontaminação de cápsulas por luz pulsada substitui a descontaminação húmida com produtos químicos. É adequada para linhas de engarrafamento de águas e proporciona uma taxa de descontaminação de de 3 a 4 log (Aspergillus niger). Para mais informação, CLICAR AQUI.