Crescimento no mercado global das etiquetas

The Future of Labels and Release Liners to 2021O mercado global das etiquetas deverá crescer 5,4% ao ano entre 2016 e 2021, até atingir o valor de 44,8 mil milhões de USD, prevê a Smithers Pira.
No relatório "The Future of Labels and Release Liners to 2021", a análise da Smithers Pira indica que o crescimento do mercado das etiquetas é induzido pelas mudanças económicas, sociais, demográficas e de estilo de vida, pela focagem dos detentores de marcas na redução na origem e na embalagem sustentável, pela procura de embalagens mais práticas pelos consumidores e pela influência crescente das cadeias retalhistas. O mercado é ainda influenciado pelo baixo custo da mudança de etiquetas e pela necessidade contínua de códigos de barras e outras aplicações de embalagem secundária que respondam às exigências de segurança alimentar e farmacêutica.
Os mercados de bebidas dominam o consumo de etiquetas; as bebidas alcoólicas são o maior segmento, com 27,5% do consumo global estimado para 2016. As atividades de turismo e hospitalidade nas grandes cidades suportam o crescimento do consumo de bebidas alcoólicas. A cultura ocidental influencia os consumidores jovens das economias emergentes. A estes fatores acresce o aumento do rendimento disponível e da classe média na região asiática.

"A previsão de crescimento do mercado das etiquetas é influenciada negativamente pela expectativa de crescimento económico moderado durante o período abrangido pela previsão" – indica Dan Rogers, responsável de publicações da Smithers Pira. "As economias emergentes e em desenvolvimento oferecem as melhores oportunidades para o crescimento do mercado das etiquetas".

A tendência crescente para a sustentabilidade da embalagem e da etiquetagem implica o aumento da preferência por sistemas de etiquetagem sem liners e esta ausência de material de suporte é associada a uma maior rapidez nas mudanças de material e de bobina. A tecnologia linerless também proporciona alta qualidade de impressão a cores, assim como a impressão no verso das etiquetas, para fins de informação ou promocionais. As etiquetas sem liners reduz resíduos e custos na produção das etiquetas.

Para mais informação sobre este relatório, clicar AQUI ou enviar um email para Julie Bostock.

Embalagem metálica pede chegar aos 132 mil milhões de USD até 2021

Depois de uma desaceleração significativa, o mercado global da embalagem metálica recuperou o crescimento, com maiores taxas na Ásia, na Europa Leste, no Médio Oriente e em África.
No seu recente relatório ‘The Future of Metal Packaging and Coatings to 2021‘, a Smithers Pira estima que o mercado vai crescer 3% em 2016 e atingir 106 mil milhões de USD, induzido sobretudo pelo aumento da procura nas economias emergentes e de transição, ao mesmo tempo que os mercados maduros permanecem estagnados. Nos anos que se seguem, o mercado global da embalagem metálica deverá crescer 4% em média anual até atingir os 132,1 mil milhões de USD em 2021.

Em termos de comércio global, países em desenvolvimento como a China, a Índia e o Brasil foram durante muito tempo considerados como produtores e exportadores significativos, fornecendo produtos para o mundo, mas, ao mesmo tempo, como fracos consumidores internos. Isso já não sucede.

LEIA O RESTO DO ARTIGO

Filmes barreira vs alumínio

imageOs filmes barreira transparentes estão a substituir materiais tradicionais como a folha de alumínio em várias aplicações, devido à preferência dos consumidores por embalagens transparentes, à facilidade de processamento e ao uso de detectores de metais nos fornos micro-ondas. De acordo com o relatório The Future of Transparent Barrier Films versus Barrier Foil to 2021, recentemente publicado pela Smithers Pira, a procura global de filmes barreira transparentes deverá crescer a uma média anual de 3,9% até atingir 1,9 milhões de toneladas em 2021. O consumo aparente de embalagens com folha de alumínio deverá crescer a uma média anual de 2,5% até atingir cerca de 3 milhões de toneladas em 2021.

LEIA O RESTO DO ARTIGO

Ano recorde para as latas de bebidas

image_thumb2014 foi um ano recorde para as vendas de latas para bebidas, com cerca de 63 mil milhões de latas cheias na Europa, mais 4% que no ano anterior, indica a Beverage Can Makers Europe (BCME), a associação europeia do sector com base na estatística elaborada pela Canadean. O enchimento de latas de refrigerantes com gás aumentou 5%, atingindo quase 32 mil milhões de latas, excedendo, pela primeira vez, o segmento das cervejas. Com um aumento de 2%, o enchimento de cervejas registou uma evolução notável, tendo em conta a redução global acima de 1% nas vendas de cervejas na Europa. Com 31 mil milhões de unidades cheias, as latas representam 22% do total das vendas de cerveja.

"Estes excelentes resultados foram obtidos apesar de o ano ter tido um verão moderado, enquanto o Europeu de Futebol foi benéfico, contribuindo para o consumo de latas" – diz a BCME. A Alemanha, que ganhou o campeonato, registou um aumento do enchimento de cervejas de 8%, confirmando a tendência de aceleração deste segmento. O aumento da variedade de formatos e tamanhos ao dispor das empresas de marca contribui para a diferenciação de produtos e permite que a latas seja utilizada por uma gama mais alargada de produtos e ocasiões de consumo.

A BCME reune os principais fabricantes de latas para bebidas na Europa: Ball, Crown e Rexam.

image_thumb[2][1]

PET embalagem 19,9 Mt em 2014

O mercado global do PET para embalagem deverá atingir 16 milhões de toneladas o valor de 48,1 mil milhões de dólares em 2014, prevê a Smithers Pira num relatório recente. A procura deverá crescer 4,6% ao ano nos próximos 5 anos, e atingir 19,9 milhões de toneladas e  60 mil milhões de dólares em 2019.
Em 2013, o mercado global do PET atingiu 15,4 milhões de toneladas. A produção de garrafas é o principal segmento deste mercado, com cerca de 80%, em que predominam o sector das águas (5,45 Mt, com um crescimento de 7,3%) e o sector dos refrigerantes (5,17 Mt, com um crescimento de 1,8%.), A embalagem não alimentar atingiu um consumo de 804,3 mil toneladas (mais 4,4% comparativamente a 2012) e as embalagens termoformadas atingiram 1,04 Mt (mais 4,75). A região Ásia-Pacífico tornou-se a principal consumidor de PET.

Sustentabilidade e mobilidade

Os comnsumidores querem sentir-se melhor em 2014. Dois tópicos terão especial influência no mercado da embalagem: um deles é a sustentabilidade e inclui o modo com,o os produtos são fabricados; o outro é a revolução no comércio retalhista provocada pela generalização da tecnologia móvel. A associação Pro Carton sumariou as previsões e tendências identificadas por várias agências internacionais e fez os seus próprios comentários.

Para ler este resumo útil, clicar  AQUI.

Mercado mundial da embalagem vale 797 mil milhões de euros

As vendas de embalagens a nível mundial foram estimadas em 797 mil milhões de USD em 2013 pela Smithers Pira (Reino Unido), que prevê um crescimento médio anual de 4% até 2018. As estimativas e previsões estão no relatório "The Future of Global Packaging to 2018", recentemente posto à venda.

Distribuição (em %) do valor de vendas de embalagens (2012)
pelos vários continentes

Ásia                                            36%image
Europa                                       28%
América do Norte                   23%
América Central e Latina        5%
Médio Oriente                            3%
Australásia                                 2%
África                                           2%

Fonte: Smithers Pira

LEIA MAIS