MEETINGPACK 2017 em Valência

imageO encontro internacional MeetingPack 2017 terá lugar nos dias 30 e 31 de maio, em Valência (Espanha). É organizado pelo Centro Tecnológico AINIA e pelo AIMPLAS e deverá reunir mais de 300 peritos em embalagem de plástico para alimentos, de diferentes países.

O encontro reúne toda a cadeia de valor da embalagem alimentar. Multinacionais do setor alimentar, fabricantes de embalagens, materiais de embalagem e máquinas de embalagem, bem como representantes do setor distribuição e outros agentes, tais como responsáveis pelas políticas públicas da Europa, peritos em legislação alimentar e em ecologia, irão participar no evento. Entre as empresas que já confirmaram a sua presença estão a UBE, a Dow Chemical, a Repsol, a M&D e a Danone.

imageA edição 2017 do MeetingPack foca o tópico "Conveniência: Guiando a Inovação em Embalagem Barreira", que se traduzirá na análise dos grandes desafios tecnológicos globais neste âmbito, tais como materiais barreira, novos sistemas de produção e embalagem, materiais refecháveis e reseláveis, fabricação aditiva, indústria 4.0, embalagens sustentáveis e reciclagem, embalagem ativas e desenvolvimentos na área dos ensaios e controlo da qualidade. Para ver o programa, clicar AQUI.

As embalagens, em particular com materiais barreira, têm um papel chave, atual e futuro, na satisfação dos requisitos de conveniência colocados pelos consumidores europeus e na forma como é enfrentado o desafio das perdas e desperdícios de alimentos, bem como na necessidade de assegurar e prolongar o tempo de vida útil dos produtos e a segurança alimentar.
O MeetingPack decorre nas mesmas datas da exposição Made From Plastic 2017, a qual registou mais de 3500 visitantes nas edições anteriores.

Logística e Intralogística em Destaque

imageA nova unidade de engarrafamento da UNICER e o novo armazém automático são tema da reportagem publicada na edição n.º 230 da revista REVIPACK. Neste grande investimento, destaca-se a estratégia da UNICER e fornecedores como a KHS (linhas de engarrafamento), a EFACEC (armazém automático) e a SEW-EURODRIVE (accionamentos).
Nesta edição, a logística e a intralogística são temas em destaque. Porque razão as paletes de madeira continuam a ser preferidas? Para Paulo Verdasca, administrador da Madeca, a resposta está na combinação de qualidade, preço e sustentabilidade. A CHEP destaca as vantagens económicas e ambientais do transporte colaborativo.
No entanto, também há mercado para as paletes de plástico, com soluções específicas como as desenvolvidas pela NORTPALET e a Cabka-IPS.
Paletizar não é apenas colocar sobre uma palete. Por isso, esta edição da REVIPACK destaca também sistemas de cintagem e o envolvimento estirável. A REMBALCOM desenvolveu um novo filme estirável com capacidade de estiragem de 400%.
Na área da intralogística, esta edição destaca várias soluções de transportadores. A ANTÍPODA, por exemplo, está a somar êxitos no mercado europeu com soluções modulares projectadas à medida dos clientes.
Nesta edição, a REVIPACK apresenta ainda várias novidades e tendências em matéria de embalagem alimentar, máquinas de embalagem e sistemas de etiquetagem e codificação.
A edição REVIPACK digital (em ficheiro pdf) já foi enviada para os Assinantes. Também pode ser lida on line, clicando na imagem da capa.

MeetingPack 2015: Inovações para embalagem alimentar

Uma embalagem de plástico transparente para conservas alimentares, absorvedores de oxigénio que aumentam a duração dos alimentos e sacos para vinho ou azeite são algumas das inovações lançadas durante a conferência MeetingPack2015, nos dias 25 e 26 de Fevereiro.

imageA Kortec apresentou uma “lata” de plástico transparente que pode substituir as embalagens metálicas. A capacidade de conservação vai até aos 5 anos.

Absorvedores

Na Europa, o desperdício de alimentos atinge 95 kg por pessoa e por ano, cinco vezes mais do que no Japão.  Uma das opções consiste em aumentar o tempo de vida útil dos produtos embalados sensíveis à oxidação, incorporando scavengers, isto é produtos com capacidade para absorver o oxigénio residual, como é o caso do desenvolvimento concretizado pela Mitsubishi. Os scavengers podem ser incorporados como agentes externos, nas etiquetas ou em pequenas saquetas no interior da embalagem. Esta tecnologia, que evita a oxidação e a perda de cor dos produtos, é largamente usada no Japão mas ainda pouco na Europa. Uma das suas vantagens é o facto de não exigir a utilização de equipamentos adicionais.

LER O RESTO DA NOTÍCIA

A embalagem que assobia

Micvac: pré-cozinhados na embalagem e no micro-ondas

imageSem aditivos, sem conservantes, mas tão frescos como as refeições feitas em casa – é o que os consumidores querem. De preferência a preço acessível, o que exige uma embalagem acessível e um processo económico de preparação e embalagem.
A Micvac (Mölndal, Suécia) tem uma solução: cozinhar as refeições em embalagem fechada num túnel de micro-ondas! A embalagem é o mais simples e funcional que se pode imaginar – um tabuleiro termoformado, fechado com um filme termoselável – mas tem um "pormenor" que faz toda a diferença: uma válvula unidireccional com uma dupla função: criar o vácuo (para prolongar o tempo de vida útil da refeição) e facilitar a vida ao consumidor (para saber quando a refeição está quente). Sim a embalagem assobia quando a refeição está à temperatura indicada!

Na primeira etapa, os ingredientes alimentares são doseados nos tabuleiros individuais.Terminado o enchimento, os tabuleiros seguem para a estação de fecho por termoselagem de filme. Nesta estação, existe um equipamento dispensador e aplicador da válvula unidireccional, que fica posicionada ao centro do filme de fecho.
Na etapa seguinte, os tabuleiros atravessam um túnel de micro-ondas. Aqui se aplica o "segredo" da cozinha micro-ondas: elevada temperatura durante um curto período, pasteurizando e preservando os nutrientes. Durante este processo, o filme incha (o que pressupõe uma termoselagem robusta) e a válvula abre para deixar sair o vapor de água.
Na etapa seguinte, com o arrefecimento, o vapor condensa e é criado um vácuo natural. A válvula fecha, mantendo o produto seguro contra contaminações. O processo pode ser visto “ao vivo” neste filme.

Já nas mãos do consumidor, a refeição volta ao micro-ondas, para ser aquecida na própria embalagem, ainda fechada. Aqui, a válvula volta a abrir e quando o consumidor ouvir um silvo agudo, é sinal de que a refeição está pronta. Este efeito pode ser visto no pequeno filme seguinte.

Só então é que o filme de fecho é retirado. Depois da termoselagem robusta, o filme tem que ser facilmente pelável, para que a embalagem seja fácil de abrir. O design simpático do tabuleiro permite usá-lo como prato em refeições "utilitárias".

A embalagem pode reduzir as perdas globais de alimentos

As Nações Unidas estimam que mais de mil milhões de toneladas de alimentos se perdem todos os anos. Este indicador pode ser significativamente reduzido com embalagem adequada, afirma a Federação Europeia dos Fabricantes de Cartão Canelado (FEFCO).

No mundo industrializado, 40% dos alimentos são desperdiçados e deitados fora ao nível do retalho e do consumo, enquanto uma quantidade similar se perde nos países em vias de desenvolvimento durante as etapas de manipulação após colheita e processamento. A FEFCO está convencida de que a embalagem alimentar adequada pode contribuir para atacar este problema e reduzir o elevado impacte ambiental e financeiro deste nível de perdas.

Alguns podem encarar a embalagem como um factor de desperdício, mas a FEFCO afirma que essa visão está errada: usam-se muito mais recursos para criar produtos do que para os embalar. Por isso, o produto e a embalagem devem ser encarados conjuntamente e a protecção dos alimentos exige o nível apropriado de embalagem, e não simplesmente menos embalagem.

A secretária geral da FEFCO Angelika Christ, disse: "o downsizing da embalagem não faz sentido se em consequência disso ocorrem perdas. A embalagem deve ser optimizada de acordo com os requisitos de cada produto. Por vezes, o aumento da embalagem reduz consideravelmente o impacte ambiental".

A Vitacress (Portugal), um dos maiores produtores de saladas, procurou uma solução de embalagem em cartão canelado capaz de prolongar o tempo de vida útil e de reduzir as perdas de produto na distribuição. O resultado foi um tabuleiro de drenagem com gelo, colocado no topo da embalagem, deixando que a água, ao cair sobre as verduras, as mantenha frescas durante 48 horas.

A embalagem de cartão canelado também pode ser projectada especificamente para cada produto e mantê-lo seguro durante o transporte. Pode ser desenhada para ser fácil de abrir e movimentar sem danificar o produto. Existe flexibilidade para introduzir soluções por medida, rápidas e custo-eficientes.

A embalagem de cartão canelado desempenha um papel vital na cadeia de fornecimento: protege 75% dos produtos europeus durante o transporte e assegura a chegada dos alimentos aos consumidores de forma segura e da forma mais eficiente possível.

Na Alemanha, foi desenvolvido um cartão com propriedades de absorção do etileno, para retardar o amadurecimento (o etileno é um agente do processo de amadurecimento de vários frutos e vegetais).

A embalagem alimentar assegura a segurança alimentar (no duplo sentido da garantia de abastecimento e da segurança do consumidor), ao mesmo tempo que facilita a logística e a identificação dos produtos. A versatilidade do cartão canelado, a sua reciclabilidade a 100% e as qualidades protectoras fazem com que seja uma parte das medidas necessárias para resolver o problema das perdas de alimentos.

Gráfica Ideal com certificação ISO 22000

imageA Gráfica Ideal (Águeda), especializada na produção e impressão offset de embalagens em cartolina, papel e microcanelado,  obteve a certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade Alimentar em conformidade com as normas ISO 22000:2005 e PAS 223. É a primeira e (até agora) única empresa nacional do sector a obter esta certificação.
A norma ISO 22000:2005 aplica-se a toda e qualquer organização que actue na cadeia alimentar. A certificação significa que a organização dispõe de um sistema de segurança alimentar e inspira confiança acrescida no produto. A norma combina a base de critérios dos Sistemas de Gestão da Qualidade e integra os princípios HACCP e GMP como pré-requesitos.
A norma PAS 223 foi patrocinada pela “Safe Supply of Affordable Food Everywhere (SSAFE)”, em conjunto com representantes da The Coca-Cola Company, da Foundation for Food Safety Certification (FSSC), de grandes empresas internacionais fabricantes de alimentos e bebidas como Nestlé, Danone, Unilever e Kraft; de imagefornecedores de embalagens como Tetra Pak, Amcor, Alpla, Rexam e Owens-Illinois, e de representantes de associações comerciais de embalagem como o Institute for Packaging Professionals/Food Safety Alliance for Packaging (FSAP).
A aposta na certificação representa para a Gráfica Ideal de Águeda, S.A., um "compromisso para com a Segurança Alimentar e a total transparência de todo o processo produtivo ao longo da cadeia de produção".

Hasta la Pizza

imageA ideia foi lançada em 2011 mas ainda passa por novidade. A M.E.G.I.C. Pizza (Itália) patenteou esta ideia de fabricar, embalar e vender pizzas com o formato típico…dos gelados. Hasta La Pizza é uma pizza com pauzinho, dose individual, vendida em embalagem flexível tipo "pillow pack" (almofada), tal e qual como os gelados. Pode ser aquecida no grelhador, no forno ou, melhor ainda, na torradeira! Em dois minutos, fica pronta a comer.
O conceito da unidose de 60 g resolve alguns dos problemas da pizza, tornando-a mais prática, mais nómada e conveniente para as múltiplas aplicações "take away" (fora de casa).