Esticar em vez de raspar

image_thumb[13]A Stratus Packaging lançou a etiqueta ICcode, uma nova solução para aumentar a segurança dos códigos PIN. Largamente usado pelos bancos, o sistema das tintas prateadas raspáveis é passível de ser ultrapassado, bastando aquecer a tinta para tornar os números visíveis.
Distinguida com um prémio de inovação no concurso internacional de etiquetas organizado pela FINAT, a etiqueta IXcode da Stratus Packaging altera substancialmente a estrutura do laminado da etiqueta que contém o código PIN e que é fixada ao documento de base. Um dos componentes do laminado é uma "língua" extensível que é coberta com finas partículas de tinta negra. Ao esticar esta "língua", o utilizador faz com que o código PIN fique visível, porque as partículas negras dispersam e desaparecem. O material esticado, porém, não volta a encolher para o estado original nem pode ser substituído, o que faz com que a abertura se torne evidente para o destinatário do documento. O complexo laminado – que envolveu um extenso programa de investigação de materiais, adesivos e tintas, e mais de 100 horas de testes – afigura-se capaz de inutilizar os esforços de esconder a violação da segurança dos códigos PIN.

A química da contrafacção

O seminário “Anti-Counterfeiting and Product Safety", organizado pelo IPI (International Packaging Institute) tem lugar já no próximo dia 9 de Junho, em Schaffhausen, Suíça. O conferencista é o Dr. John Spink, da Michigan State University e o programa inclui os seguintes tópicos: segurança na cadeia de fornecimento e papel da embalagem, motivação para o crime,  a “química” do crime, prevenção e soluções. Para mais informações, CLICAR AQUI.

Embalagem farmacêutica e médica

A conferência "Pharmaceutical and Medical Packaging 2010" realiza-se nos dias 4 e 5 de Maio, em Copenhaga, Dinamarca. O programa inclui apresentações de especialistas europeus e norte-americanos sobre os seguintes temas:
– Contrafacção de produtos farmacêuticos: dimensão do problema, contra-medidas e, em especial a seriação dos produtos;
– Qualificação de materiais de embalagem: especificações, estudos comparativos e auditoria de fornecedores;
– Influência da RFID, da contrafacção e das questões ambientais nos equipamentos de embalagem para o sector farmacêutico;
– Codificação baseada na internet para combater a contrafacção: impressão e leitura de códigos a alta velocidade;
– Técnicas anti-contrafacção: RFID, tintas de segurança, códigos ocultos;
– Casos de aplicação da identificação por rádio-frequência (RFID) na indústria farmacêutica;
– Embalagem e segurança: em especial a segurança de crianças em embalagens de medicamentos.
Para mais informação e pré-registo nesta conferência, CLICAR AQUI.

Medicamentos contrafeitos

Em cinco dias, as autoridades policiais de 26 países lançaram a operação Pangea II para detectar medicamentos contrafeitos. Foram identificados 751 sites ilegais de venda de medicamentos, dos quais 72 foram encerrados e 11 foram notificados. As autoridades inspeccionaram 34 centros de distribuição postal, 9 centros alfandegários. No total, foram analisadas mais de 16 mil encomendas postais, das quais 995 foram apreendidas por conter 166 540 unidades de medicamentos ilegais e/ou contrafeitos. Leia mais