Embalagens flexíveis valem mais de 21 mil milhões

O negócio das embalagens flexíveis teve um consumo de 3,8 milhões de toneladas de materiais, e representou uma facturação superior a 21 mil milhões de euros, de acordo com as estimativas da AMI (Bristol, Reino Unido). Num relatório que inclui o perfil das 50 maiores empresas do sector, a AMI conclui que as estimativas anteriores pecavam por defeito.

A indústria de embalagens flexíveis abrange materiais de embalagem flexíveis submetidas a um ou vários processos de transformação, tais como impressão, laminagem, revestimento, extrusão-laminação e revestimento e ainda a formação de sacos ou saquetas. Envolve a utilização de substractos diversos, tais como papel, filmes plásticos, folha de alumínio, combinados em diversos modos e espessuras e larguras. Dada a complexidade de materiais e combinações que podem ser usadas e a variedade de processos de transformação, este sector é formado por um vasto leque de empresas, com modelos de negócios diversificados. Tradicionalmente, o sector caracterizava-se pela fragmentação, mas alguns grupos emergiram na Europa, ao encontro das necessidades dos detentores de marcas globais. O aumento dos custos, o relevo das preocupações ambientais e a recessão económica colocaram as empresas do sector sob pressão e este factor continua a estar na origem de reestruturações e mudanças estratégicas. É de assinalar a emergência dos mercados da Europa do Leste e da Rússia, ao mesmo tempo que as fábricas da Europa Ocidental procuram orientar-se para produções de maior valor acrescentado, tendo como alternativa o fecho.
A decisão da Sun Capital Partners Inc. de fundir empresas do seu portfólio – a Expopack dos EUA, com o Britton Group europeu, a PACCOR, a Kobusch e a Paragon Print & Packaging – em meados de 2013, foi a mais recente das operações em grande escala nas reestruturações do sector. Deu origem ao 6º maior player do sector a nível mundial, mas ainda se esperam sequelas de reestruturação soba forma de encerramentos ou desinvestimentos.
As 50 empresas abrangidas pelo estudo da AMI incluem outros grandes grupos, tais como Bemis Mondi e Sealed Air, lado a lado com players regionais da Europa Central e de Leste, da Turquia e da Europa Ocidental. As 50 maiores empresas detêm 51% do mercado em volume e 54% em valor.

Anúncios