Iniciativa SAVE FOOD quer reduzir perdas de alimentos

image[3]A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e um conjunto de parceiros estão a apelar às empresas e organizações de todo o mundo para se juntarem à iniciativa SAVE FOOD, um esforço à escala global, lançado em 2011, que tem por objectivo reduzir as perdas de alimentos e os resíduos. As perdas de alimentos estimam-se actualmente em 1,3 mil milhões de toneladas, com um valor aproximado de um bilião de USD ("trilião" na escala curta usada nos EUA e na imprensa económica).
A iniciativa SAVE FOOD conta actualmente com mais de 50 parceiros, entre os quais a Messe Dusseldorf, empresa organizadora de feiras, e a Interpack, a feira de embalagem e processamento, mas procura novos parceiros, designadamente empresas do sector privado e organizações sem fins lucrativos envolvidas na cadeia de fornecimento de alimentos e que possam contribuir com o seu conhecimento e experiência. Novas tecnologias, melhores práticas, coordenação, investimentos em infraestruturas – da produção de alimentos ao consumo – são aspectos cruciais para reduzir as perdas e os resíduos de alimentos.

Sustentabilidade
"Com 900 milhões de pessoas com fome no mundo e um bilião de dólares desperdiçados, a acção conjunta para reduzir perdas pode melhorar as condições de vida, a segurança alimentar e reduzir o impacto ambiental" – afirma Gavin Wall, director da Divisão de Infraestrutura Rural e Agro-Indústrias da FAO. Um terço dos alimentos produzidos a nível mundial para consumo humano é deitado fora ou perdido, e com ele os recursos naturais usados na sua produção. As perdas globais de alimentos nos países industrializados atingem cerca de 680 mil milhões de USD. Nos países em vias de desenvolvimento, as perdas estimam-se em 310 mil milhões de USD. "Aumentar a segurança alimentar cortando as perdas e resíduos de alimentos é um desafio que todos partilhamos e é um tema central da conferência UN Rio+20 sobre o Desenvolvimento Sustentável" – disse Wall. "Mesmo que só se consiga salvar uma quarta parte das perdas globais, isso será suficiente para alimentar 900 pessoas com fome no mundo" – diz Robert van Otterdijk, chefe de equipa da SAVE FOOD.

Impacto profundo
Embora ocorram em todas as etapas da cadeia de fornecimento, as causas e o impacto das perdas de alimentos difere de região para região. Nos países em vias de desenvolvimento, as perdas de alimentos afectam duramente os pequenos agricultores. Cerca de 65% das perdas ocorre na produção, após as colheitas e nas fases de processamento. Por exemplo, num projecto em curso na Gâmbia, a abordagem "Uma Aldeia – Um Produto" está a ajudar os agricultores a reduzir significativamente as suas perdas.

 

Nos países industrializados, os desperdícios de alimentos ocorrem com frequência no retalho e ao nível do consumo, devido a uma mentalidade orientada para "deitar fora". O desperdício per capita ao nível do consumo está actualmente entre 95 e 115 kg/ano na Europa e nos EUA, enquanto na África sub-sahariana e no sudoeste asiático, o desperdício per capita ao nível do consumo é da ordem dos 6 a 11 kg/ano.

Anúncios