A HISPACK e as indústrias da embalagem em Espanha

39,1 % das empresas espanholas do sector da embalagem esperam aumentar a facturação em 2012. A previsão revela um optimismo acima da média, considerando o contexto das economias do sul da Europa. No dia 17 de Maio, durante a feira HISPACK, que decorre em Barcelona (entre os dias 15 e 18) serão apresentados os dados do Barómetro Hispack Packaging Trends, elaborado com base na resposta de mais de 500 representantes do sector.

Em Espanha, o sector da embalagem é composto por 1482 empresas, que empregam cerca de 73 000 pessoas. A facturação global atingiu em 2010 o valor de 17 463 milhões de euros, menos 12 % comparativamente à facturação de 2007. O número de empresas baixou 10,6 % no mesmo período. Apenas as indústrias do vidro e das máquinas de embalagem mantiveram o número de empresas e no sector dos plásticos, apenas fecharam duas empresas num total inferior a três centenas. A maior descida verificou-se no sector do papel e cartão (menos 26,6%). A redução do número de empresas combina duas tendências: por um lado, a consolidação (fusões e aquisições), por outro as falências. O emprego desceu 8,1 %.
No que toca à facturação, apenas as indústrias de embalagens metálicas e de vidro escaparam à tendência de descida, tendo mesmo registado  subidas de 9,3 % e 4,4 %, respectivamente. A maior descida (-29,6 %) foi registada pelo sector das embalagens de madeira, com uma facturação de 869 M€ em 2010.

 

No caso das embalagens metálicas, o aumento do valor de facturação deve-se sobretudo ao aumento dos preços, dado que a produção, em milhões de unidades baixou 9,6 %, ficando nas 15 527 milhões de unidades em 2010. Os principais segmentos do sector das embalagens metálicas são:
– os aerossóis, que registaram uma queda em 2008 e têm vindo a recuperar, chegando a 2010 com uma produção de 292 milhões de unidades;
– as latas para bebidas, com um total de 6 621 milhões de unidades (das quais 2 833 milhões de latas para cerveja) produzidas em 2011 (mais 10% que em 2010).

O sector do papel e cartão baixou 17,8 % em facturação, 5 % em emprego e 7,7 % em produção. Os números evidenciam a degradação dos preços e margens das empresas do sector. Em termos absolutos, o sector contava em 2010 com 94 empresas, com uma facturação global de 4 160 M€, 17 500 empregados e uma produção total de 6 193 mil toneladas. 2009 foi o pior ano do sector, com a produção a evoluir abaixo do PIB. Depois a indústria iniciou a recuperação, mas ainda está longe do nível de 2007. O sector exporta cerca de metade da sua produção, predominantemente para outros países europeus.

Em 2011, a produção de papel e cartão em Espanha manteve praticamente o nível de 2010. Foi, aliás, um ano de descida quase generalizada da produção. No total, a Europa produziu 94,9 milhões de toneladas de foram poucos os países aumentaram comparativamente a 2010: a Polónia (7 %), Portugal (4,3 %), o Reino Unido ( 1 %), a Itália (0,5 %) e a Espanha (0, %).

Se se considerar apenas o subsector do cartão compacto, a tendência de descida é ainda mais agravada. Entre 2007 e 2010, a facturação caiu 10,9 %, o número de empresas passou de 127 para 105 (- 17,3 %), o emprego caiu 19,1 % e a produção baixou para 316 mil toneladas (-15,1 %).
No segmento do cartão canelado, a evolução foi igualmente negativa, mas mais moderada. Fecharam 4 empresas (-4,9 %), a facturação caiu 9,7 %, o emprego desceu 4,3 % e a produção caiu 8,9 % para 2 553 690 toneladas. A Espanha é um mercado maduro para o cartão canelado, com um consumo com reduzida variação. Em 2011, o consumo de cartão canelado foi de 2,566 milhões de toneladas.

O sector das embalagens de plástico registou uma descida da facturação de 14,2 % entre 2006 e 2009. No mesmo período o número de empregos baixou 10,9 %. A produção aumentou 7,4 % em unidades paras reduziu 3,1 % em toneladas.  Apenas os segmentos ds garrafas, frascos e tampas conseguiram recuperar os níveis anteriores a 2009.

A indústria espanhola de vidro de embalagem conseguiu compensar a redução do mercado doméstico com o aumento das exportações, conseguindo uma facturação global de 829 milhões de euros ( + 4,4 %), um volume de produção de 2 148 947 toneladas, um volume total de vendas de 3 477 233 toneladas, das quais 537 156 destinadas a exportação. A indústria vidreira recuperou o nível anterior a 2008. Em 2011, a produção aumentou para 2 202 687 toneladas.

O sector da construção de máquinas de embalagem baixou a sua facturação em cerca de 10 %, ficando em 2010 em cerca de 900 M€.

Estes dados baseiam-se em informação coligida por várias associações sectoriais e agregada num relatório disponibilizado pela Feira de Barcelona, organizadora da Hispack. Para obter este relatório, clicar AQUI.

Anúncios