Indústria de aerossóis de alumínio mantém crescimento

image

A AEROBAL, a associação internacional dos fabricantes de embalagens de alumínio para aerossóis, reportou mais um recorde de produção em 2011, com um total de 6,6 mil milhões de embalagens. O crescimento médio anual nos seus anos mais recentes foi de 7,5 %. 

 

na Europa, onde o consumo anual per capita ronda os 11 aerossóis por ano, o crescimento em 2011 foi assinalável: 10 %. a procura no mercado norte-americano, com um consumo per capita de 9 aerossóis, permaneceu estável. Na América do Sul, depois de vários anos de crescimento a dois dígitos, 2011 registou um crescimento a um só dígito. A previsão para esta região continua a ser favorável, especialmente com as perspectivas de subida do consumo per capita em países emergentes como o Brasil, actualmente com um nível de apenas 3 aerossóis. O mesmo se aplica aos mercados em crescimento na Ásia, onde se espera um considerável crescimento, partindo de níveis de consumo per capita tão baixos como 1 aerossol (China) ou mesmo abaixo desse nível (Indonésia, Coreia do Sul).

Os desodorizantes foram a principal parcela do mercado dos aerossóis em 2011, com 48 % da produção global. Os mercados dos produtos para o cabelo (lacas e espumas), com cerca de 20 % mantiveram uma procura estável. Registou-se crescimento nas categorias de produtos de uso doméstico, produtos farmacêuticos e alimentares, cujas contribuições foram de 10, 6 e 3 %, respectivamente. A AEROBAL indica bom potencial de crescimento nestes segmentos do mercado.

"O sector está muito satisfeito com os resultados obtidos em 2011" – afirma o presidente da AEROBAL, Takaaki Takeuchi. "A situação das encomendas no princípio de 2012 é também gratificante e a utilização das capacidades permanece elevada. Necessitamos de lidar com o aumento dos custos das matérias-primas, energia e mão-de-obra, que representam um sério desafio para a indústria em 2012".

Anúncios