Aerossóis de alumínio com crescimento a dois dígitos

A procura mundial de embalagens de alumínio para aerossóis continuou a aumentar em 2010. Produção aumentou quase 11% e passou a barreira dos 6 biliões de embalagens. Depois da pausa de 2009, a procura europeia revistou uma evolução muito favorável, com um aumento de 13%. A procura sul-americana também registou crescimento a dois dígitos, enquanto as taxas de crescimento na Ásia, cuja procura foi decisiva para manter o crescimento em 2009, ficaram a um dígito.

A procura mundial de aerossóis de alumínio tem vindo a crescer continuamente ao longo de vários anos. Desde 2006, ano em que foi criada a AEROBAL (a Associação Internacional dos Fabricantes de Aerossóis de Alumínio), a procura teve um crescimento médio anual de 8%. Este crescimento pode ser atribuído ao dinamismo do mercado da cosmética. Especialmente nos anos mais recentes, as embalagens com formatos e relevos atractivos e com impressões foto-realistas contribuíram para um elevado reconhecimento e promoção das marcas e com isso ganharam posição nas prateleiras das lojas.

Cerca de 80 da produção total de 2010 foi destinada ao mercado da cosmética,  e o segmento dos desodorizantes foi o "propulsor" do crescimento. Nos próximos anos, o fabrico de embalagens de alumínio tem perspectivas de crescimento não só no mercado da cosmética, mas também nos segmentos farmacêutico e alimentar, onde a posição relativa deste tipo de embalagens tem sido menor.

O ano de 2011 começou bem para ester sector. "Verificou-se um aumento das encomendas nos dois primeiros meses e isso significa que a utilização da capacidade de produção vai ser muito satisfatória até ao Verão" – diz Florian Nussbaum, presidente da AEROBAL. "Os aumentos bruscos nos preços dos materiais, tais como as tintas de impressão estão a comprimir as margens e são o factor negativo para o sector. Apesar disso, a indústria olha com confiança para 2011".

Anúncios