A pegada de carbono do cartão

image O desempenho ambiental da indústria do cartão está a melhorar em todos os parâmetros principais e a pegada de carbono do cartão baixou 7% no últimos três anos – diz a associação Pro Carton num artigo acabado de publicar em que salienta as conclusões do IVL – Instituto Sueco de Pesquisa Ambiental. Segundo o IVL,  a procura de cartões aumenta o sequestro de carbono e a opção pelo cartão promove o uso de energia renovável. A reciclagem do cartão armazena carbono e ajuda a evitar emissões. O relatório do IVL descreve um metodologia para medir a quantidade de "carbono biogénico" armazenado no cartão. Para obter o artigo da Pro Carton, CLICAR NA IMAGEM.

 

Quando o papel é reciclado, evita-se que o carbono armazenado no papel sea libertado para a atmosfera, mantendo as fibras de madeira originárias de florestas sustentáveis na cadeia de valor. As fibras podem ser recicladas 5 a 7 vezes e a reciclagem dos cartões desvia-os dos aterros, o que reduz as emissões de metano.
As estatísticas da União Europeia mostram que, se não existirem sistemas adequados para recolha e reciclagem ou valorização energética, cerca de 24% dos cartões no final do seu ciclo de vida vão para aterro. O IVL indica que as emissões de metano dos aterros representam o equivalente a 308 kg de CO2 por cada tonelada de cartão colocada no mercado. No entanto, com as infra-estruturas adequadas, é possível usar os gases dos aterros como substitutos de gases fósseis. O IVL estima que essa substituição e subsequente uso do gás metano como fonte de energia permite reduzir 40 kg de CO2 por cada tonelada de cartão colocada no mercado.

O IVL calculou a pegada de carbono média dos cartões transformados e vendidos na Europa, em todo o seu ciclo de vida. O cálculo refere-se às emissões totais de gases com efeito de estufa por cada tonelada de cartões produzidos, transformados e impressos na Europa, considerando a actual combinação de e fibras virgens e fibras recicladas. O cálculo aponta para 1127 kg de CO2 por tonelada de cartão colocada no mercado. Num cálculo "cradle-to-gate"- em que se inclui a reciclagem, as emissões de 964 kg de CO2 são significativamente compensadas por -730 kg de CO2 biogénico sequestrado.

image

image Para obter a versão integral do relatório do IVL Report, clicar na referência seguinte ou na imagem:

“Carbon Footprint of Cartons in Europe – Carbon Footprint methodology and biogenic carbon sequestration” by Elin Eriksson, Per-Erik Karlsson, Lisa Hallberg & Kristian Jelse.

Anúncios