Tendências do consumo de produtos lácteos

O consumo global de leite e outros produtos lácteos líquidos deverá ter aumentado 1,3% entre 2008 e 1009. A previsão foi publicada pela Tetra Pak no dia 3 de Dezembro. O "Dairy Index" desta empresa aponta para uma estimativa de consumo total de 263 mil milhões de litros, sem contar com 284 milhões de litros relativos a leite de soja, e outros produtos lácteos alternativos baseados em produtos como arroz, noz ou sementes.

Até 2012, o consumo de produtos lácteos líquidos deverá aumentar 2,2% ao ano. Os países em vias de desenvolvimento são os principais responsáveis pelo aumento do consumo, o que se deve sobretudo ao crescimento da população, a melhoria do nível de vida e a relativa novidade dos produtos lácteos líquidos.
Os países desenvolvidos representam cerca de um terço (32%) do consumo global, registam consumos per capita mais elevados e por isso o crescimento do consumo é mais difícil. É o caso da Irlanda, com um consumo anual per capita de 160 litros (contra 19 litros da China). Portugal está entre os países com consumo per capita mais elevado – 106 litros.
Nos mercados maduros, as estratégias de marketing apontam para novas apresentações, como é o caso dos produtos de longa duração, dos leites fortificados ou "funcionais". Os líquidos lácteos de longa duração deverão registar um crescimento médio anual de 0,7% entre 2009 e 2012, nos mercados desenvolvidos. O chamado "ambient milk" (porque não requer frigorífico) é ideal para famílias com crianças e/ou numerosas, na medida em que permite ter maiores quantidades em casa com menos deslocações ao supermercado. Por outro lado, o leite de longa duração é frequentemente promovido com descontos de preço, indo ao encontro das estratégias de poupança dos consumidores.
Em Espanha, o segmento dos leites fortificados (leitores com adição de cálcio, Ómega 3, leites especiais para crianças e leites sem lactose) representa 20% do consumo total de leite. Outra tendência registada nos mercados desenvolvidos é para o consumo de leites aromatizados nas escolas (Alemanha) ou como acompanhamento no pequeno-almoço dos adultos e nas refeições das crianças (EUA).
Embora o "leite branco" represente 76% do consumo nos mercados desenvolvidos, os produtores procuram oportunidades de crescimento nos segmentos do leite aromatizado e do leite de soja. Para o leite de soja, o Dairy Index estima um aumento médio anual de 1% entre 2006 e 2009. Para o período entre 2009 e 2012, prevê-se um aumento médio anual de 3,3% para o leite aromatizado e de 3,1% para o leite de soja.

Para obter uma cópia do Tetra Pak Dairy Index CLICAR AQUI

Anúncios