Plásticos detectáveis

Na indústria alimentar, são instalados detectores de metais para impedir a contaminação dos produtos embalados com partículas metálicas. Por essa razão, as peças dos equipamentos em contacto com os produtos têm que ser metálicas. Recentemente, porém, foram desenvolvidos  plásticos que são detectáveis pelos detectores de metais.

Os novos materiais são copolímeros acetálicos (POM), com boas propriedades de deslizamento, mesmo em contacto com metais, os polímeros de cristais líquidos (LCP), ideais para peças que requerem elevado módulo de elasticidade, e ainda o polietileno de peso molecular ultra-elevado (PE UHMW), com elevada resistência à abrasão e ao impacte. Estes materiais suportam temperaturas desde a congelação flash até aos 300 °C e têm aprovação FDA (E.U.A.) e BfR (Alemanha) para contacto alimentar. O facto de serem reconhecidos pelos detectores de metais faz com que possam ser utilizados no fabrico de peças para os equipamentos de processamento alimentar, desde misturadores, cortadores, tabuleiros, transportadores, etc.. A substituição do metais pelos novos "plásticos detectáveis" permite reduzir o consumo de energia (peças mais leves requerem menos energia para serem accionadas). Por outro lado, também é possível reduzir o nível sonoro dos equipamentos.

Os novos plásticos foram desenvolvidos pela empresa alemã Ticona (subsidiária da Celanese Corporation.

ticona food copy

Anúncios